quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Neil Gailman

Eu já tive um outro blog, que, inadvertidamente deixei morrer e sofro muito de arrependimento por isso. Mas enfim, naquela época em 2003, conheci o Euteamoblog, da Kamille Viola, que escreve divinamente bem e também publica textos de outros autores maravilhosos.

Lá que conheci o Neil Gaiman:

Amor... Você já amou? Horrível, não? Você fica tão vulnerável. O peito se abre e o coração também. Desse jeito qualquer um pode entrar e bagunçar tudo. Você ergue todas essas defesas. Constrói essa armadura inteira, durante anos, pra que nada possa te causar mal. Aí, uma pessoa idiota, igualzinha a qualquer outra, entra em sua vida idiota. Você dá a essa pessoa um pedaço seu. E ela nem pediu. Um dia, ela faz alguma coisa idiota como beijar você ou sorrir e, de repente, sua vida não lhe pertence mais. O amor faz reféns. Ele entra em você. Devora tudo que é seu e te deixa chorando no escuro. Por isso, uma simples frase como "talvez a gente devesse ser apenas amigos" ou "muito perspicaz" vira estilhaços de vidro rasgando seu coração. Dói. Não só na imaginação ou na mente. É uma dor na alma, no corpo, uma verdadeira dor que entra-em-você-e-destroça-por-dentro. Nada devia ser assim. Principalmente amor. Odeio amor.

Melhor impossível.

Um comentário:

Monica Rocha disse...

Simmm...o amor com certeza nos faz reféns...porém...nããooooo...nem sempre o amor nos deixa sozinhos no escuro chorando. O problema é esse salto no escuro...dá um meedooo!!!! AMEI o texto!